Mecanismo de pesquisa:

domingo, 28 de março de 2010

Corinthians foi mal na estreia da Stock Car 2010

quarta-feira, 3 de março de 2010

terça-feira, 2 de março de 2010

Corinthians acaba de fechar parceria com a equipe RVR Motorsport



O caminhão, que terá motor Scania. O número 100 fará alusão ao centenário alvinegro em 2010.



O clube acaba de fechar parceria com a equipe, do piloto paulista Roberval Andrade, para a temporada 2010 do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck

O projeto do Sport Club Corinthians Paulista é de estender para as pistas de automobilismo a paixão que sua torcida manifesta há um século no futebol. O clube acaba de fechar parceria com a equipe RVR Motorsport, do piloto paulista Roberval Andrade, para a temporada 2010 do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck. O clube, já vinculado às corridas pela Fórmula Superleague, também estará na Stock Car, com a equipe de Ricardo Zonta e Ricardo Sperafico.

Com a parceria, nasce a RVR Corinthians Motorsport. “Estou orgulhoso, e tenho a noção da minha responsabilidade e do meu compromisso representando duas marcas mundiais”, afirma Andrade, em alusão à Scania e ao alvinegro. “Nós tivemos o contrato com a Scania renovado nesta semana, reafirmando a confiança no nosso trabalho. O Corinthians chega à equipe justamente no ano do centenário do clube, o que também traduz uma grande confiança”, ele define.

O caminhão da RVR Corinthians Motorsport para a temporada 2010, que terá o número 100 em alusão ao centenário de criação do clube, será apresentado na próxima terça-feira dia 2, em São Paulo, em solenidade no estádio do Pacaembu. “A parceria com o Corinthians acontece em um bom momento para nós, vejo a novidade como reflexo do bom trabalho que a equipe fez em 2009”, diz o piloto, que na última temporada conquistou três vitórias.

Roberval Andrade vê na chegada do Corinthians um momento importante também para a Fórmula Truck. “Com a presença do clube, a categoria vai ganhar uma visibilidade expressiva. O evento tem uma grandeza natural, e isso é fruto do trabalho de todas as equipes. Fico feliz por poder contribuir com esse processo trazendo para a Truck um nome tão forte e tão marcante”, afirma o representante corintiano, campeão de 2002 e vice em 2005 e 2007.

O diretor de Marketing do Corinthians, Luís Paulo Rosenberg, aposta no sucesso da parceria. “Todo brasileiro sonhou um dia em ser caminhoneiro, é o que diz o ditado. Unir o sonho com competição e a paixão que o Corinthians desperta é algo que não poderíamos deixar passar”, afirma. “A média de público que a F-Truck tem é impressionante, e nós temos de aproveitar para ter contato com esse público e com o nosso torcedor”, complementa.

Com Andrés de 'piloto', Corinthians mostra seu caminhão para a F-Truck



O Corinthians apresentou nesta terça-feira seu caminhão para a temporada 2010 da Fórmula Truck. O evento contou com a presença do presidente do time alvinegro Andrés Sanchez, que entrou no carro e ligou o motor, se mostrando assustado logo depois.

“Está maluco! Atinge 200 km por hora um caminhão desses! Por isso que ele entrou para esse bando de louco”, afirmou o mandatário corintiano olhando para Roberval Andrade, que será o piloto que representará o Corinthians na competição.

Andrés disse que se sentiu desconfortável ao entrar no carro da Fórmula Truck. “Não dá para se mexer aqui, ou sou eu que estou gordo”, brincou o presidente do Corinthians. “Está fora da medida. Por isso ficou um pouco junto”, retrucou Andrade de forma gentil.

O novo piloto do Corinthians celebrou a parceria entre futebol e velocidade, para divulgar melhor a Fórmula Truck. “Quero fazer história ao defender o Corinthians. É muito boa essa fusão entre o futebol e o motor. Quero representar muito bem o time”.

Andrés Sanchez citou o pioneirismo do Corinthians ao investir em outros esportes, e espera que os rivais do futebol façam o mesmo. O presidente explicou que, a princípio, não espera lucrar com essas ações.

“Estamos tentando desenvolver a categoria, correndo atrás de patrocínios. Não vemos a Fórmula Truck tanto pelo financeiro, mas sim pelo institucional”, reconheceu o presidente.